13 de dezembro de 2017

Depois do grande dia...


Pensei e re-pensei sobre este post... no final, apercebi-me que não vou conseguir limitar-me a um post apenas.

Depois do parto, como devem imaginar estava bastante cansada mas, obviamente, que a partir daquele momento, que tempo para recarregar baterias ia ser muito reduzido, LoL. Agora olhando para trás, devia ter aproveitado o facto de que o Príncipe também estava exausto, para tentar descansar o máximo... mas sabem o que aconteceu? Apesar da minha exaustão, quase não preguei olho na primeira noite com ele. E vocês dizem: pois tinhas que dar de mamar e afins... Também mas não era só isso. O Príncipe se não estava a mamar estava a dormir descansadinho, nos entretantos em vez de dormir estava completamente vidrada nele e, principalmente, a ver se ele respirava.
Parece coisa de malucos mas a noite toda era eu a tocar-lhe no peito ou nas costas para ver se ele estava a respirar, de tão pacífico que estava.

Ficámos 2 dias no hospital, contudo no final do dia 18 as midwifes já estavam prontas para me mandar para casa. Eu é que não me sentia confortável para ir pois o Príncipe estava a ter alguma dificuldade em pegar na mama e amamentar era das coisas que mais queria, por isso ficámos aquela noite para eu ter algum tipo de suporte nesse aspecto.
Não tenho que dizer das midwifes. Como profissional, às vezes elas conseguem ser bastante difíceis de trabalhar mas como doente, estando do outro lado, foram espectaculares!

Quando fomos para casa é que a "diversão" começou. Aqui no UK, no dia a seguir à mulher regressar a casa, ela tem uma visita domiciliária da sua midwife que a seguiu ao longo da gravidez. Ela vem ver como a mãe está, se tem alguma dúvida, se precisa de algo, etc. Passado um par de dias tem outra e assim sucessivamente para ir vigiando a recuperação da mãe, como está a alimentar o bebé (neste caso recebi imenso apoio à amamentação) e, claro, o bebé.

É completamente normal o bebé perder peso naquela primeira semana e o Príncipe não foi excepção... Foi neste momento em que me apercebi de que o meu "Eu" profissional, não gosta de comunicar com o meu "Eu" maternal. Eu sabia que é normalíssimo e até esperado os bebés perderem entre 10 a 15% do seu peso mas mesmo sabendo, o meu coração de mãe ficou muito apertadinho e angustiado.
O que se passava na minha cabeça era que eu não era boa mãe, que não estava a saber cuidar do meu filho, entre outros mantras do género. Claro que depois dessa semana, o Príncipe começou a engordar a olhos vistos, sendo pesado todas as semanas, os números não mentiam mas, infelizmente, as inseguranças continuavam a tocar na minha cabeça. Com a explosão hormonal e com os mantras negativos... fui-me muito abaixo. Os tão falados baby blues atacaram-me mesmo!
Sentia-me um falhanço como mãe de cada vez que o menino chorava... mas irei falar mais sobre isso num outro post.

Correndo o perigo deste Reino se tornar num baby blog, irei partilhando as aventuras desta nova mãe  e tudo o que isso envolve. O que acham?

6 de dezembro de 2017

O grande dia



Esta grande aventura começou por volta da meia-noite do dia 18 mas tive que esperar até por volta das cinco da manhã para ter contracções em condições para ir para o hospital. Mal cheguei fui examinada e como já tinha alguma dilatação fui logo encaminhada para Obstetrícia. 
Tenho que mencionar que o hospital onde fui ter o nosso Príncipe, é o mesmo hospital onde trabalho portanto já conhecia os cantos à casa e como as coisas funcionam (tendo em conta que o Bloco Operatório trabalha com Obstetrícia em termos electivos e de emergência).

Neste hospital, o que em Portugal é considerado "bloco de partos", ali são os quartos. Os quartos individuais estão equipados para o parto acontecer ali mesmo, a mulher não anda de um lado para o outro e tem muito mais privacidade. Eu quando cheguei ao meu quarto tive um momento bastante engraçado... pousei a minha mala, arranjei as minhas coisas e continuei de pé. A midwife (mais ou menos o equivalente a parteira) que ia ficar comigo disse-me para ficar à vontade mas só passados uns minutos é que me apercebi que estava no meio do quarto à espera de um doente aparecer. Só que na verdade a doente, naquele momento, era eu, LoL.

Como o parto é no quarto, o pai ou algum membro da família são encorajados a assistir e a participar no parto, apoiar a mulher e quando o bebé nasce, cortar o cordão umbilical ou até mesmo prestar os primeiros cuidados, além claro, de tirar imensas fotografias!
Só se acontecer alguma coisa durante o parto ou previamente se descobrir algum problema, é que levam a mulher para o Bloco. No meu caso, não foi necessário... apesar de que no final tivemos um momento menos bom (o Príncipe decidiu brincar com o cordão umbilical e tinha-o à volta do pescoço) contudo, correu tudo bem.

E, no dia 18, a meio da tarde, nasceu o nosso belo Príncipe, a gritar em plenos pulmões... Nada do que escrever aqui vai transmitir com exactidão o que tanto eu como o Mais-que-Tudo, sentimos nesse momento. 

29 de novembro de 2017

Antes do grande dia...


Como tinha dito no post anterior, a nossa mudança para o nosso lar foi perigosamente muito perto da data prevista para o Príncipe nascer, contudo, em contrapartida, tive mais de um mês em casa a descansar.
Estava de 35 semanas no meu último dia de trabalho, o que acabou por ser o ideal pois já estava a ser um bocadinho difícil de andar de um lado para o outro com aquela barrigona. E aproveitei o tempo em que fiquei em casa para descansar o máximo que conseguia, fazer a mala do hospital, lavar as roupinhas todas do bebé, basicamente tratar das últimas coisas.
Claro que acabou por se tornar muito mais intensivo pois nos entretantos mudamos para a nossa casa e foi assim uma corrida contra o tempo para ter pelo menos as coisas do Príncipe organizadas. O que ajudou bastante foi o facto de a minha família ter-nos visitado na altura da data prevista para nascer pois eu com aquele barrigão não podia, de todo, andar a carregar caixas, nem ajudar o Mais-que-Tudo na demanda de organizar os móveis.
Contudo, a família acabou por perder o nascimento do Príncipe pois ele decidiu nascer no dia seguinte a eles se terem ido embora, LoL. Claramente não queria audiência!


P.S. - na primeira foto, a outra grávida é a minha chefe que teve o bebé dela um dia antes do Príncipe nascer, LoL.  

22 de novembro de 2017

Home is where your heart is




Uma das aventuras que começou ainda no ano passado, foi eu e o Mais-que-Tudo comprarmos a nossa casinha... Sim, é uma verdadeira aventura! Acho que foi das primeiras vezes em que dei por mim a pensar: "eu definitivamente não sou adulta o suficiente para isto", LoL. Além de que é assustador o processo todo do empréstimo com o banco, pelo menos para mim que simplesmente abomino papelada e burocracia.

Tivemos foi "azar" porque a mudança para a casa ficou perigosamente perto da data do nosso Príncipe nascer, ou seja, estava uma soberana muito grávida e muito ansiosa para ter as coisas direitinhas antes do menino decidir sair. Contudo, lá fomos lentamente fazendo a nossa casa o nosso lar, mais devagar do que queria mas celebrando cada pequena vitória, como por exemplo, posso dizer que passado um mês de nos termos mudado já não tínhamos caixas em casa. Somos uma casa box free, finalmente! Ou então quando colocámos os varões e comprámos cortinas, o Mais-que-Tudo estava tão feliz por finalmente podemos ter alguma privacidade ou tapar a claridade de manhã, que se abraçava às cortinas, LoL.

Claro que ainda faltam algumas coisas mas, tal como disse, lentamente vamos criando o nosso lar.

15 de novembro de 2017

And we're back!


Agora que a poeira está a começar a assentar, comecei de dia para dia a sentir falta de escrever aqui no Reino! Claro que a frequência dos posts poderá não ser a mesma mas... o que interessa é ir escrevendo e continuar a fazer uma das coisas que mais adoro, não é?

Então é assim, para breve vários posts a contar as nossas aventuras! E porque o Reino não é nada sem os seus súbditos, o que gostariam que escrevesse? Alguma coisa em especial? Estou aberta a sugestões.

18 de setembro de 2017

And so the adventure begins!


Eu sei que tenho andado bastante desaparecida e é por isso mesmo que vos venho dizer que me vou afastar do Reino por uns tempinhos... há bastantes coisas a acontecer ao mesmo tempo e não consigo dar a atenção devida aqui ao blog.

Espero poder voltar o quanto antes mas entretanto podem continuar a seguir-me no facebook do Reino e/ou no instagram!

12 de setembro de 2017