28 de junho de 2017

House of Cards, season 5



Não sei se sabem mas eu e o Mais-que-Tudo somos viciadões em House of Cards, então quando saiu a nova temporada este ano, foi assim uma maratona de episódios que vocês nem acreditam, LoL.

A início eu não era grande fã de Kevin Spacey mas ele parece mesmo feito para este papel! E melhor que o Kevin Spacey, é a Robin Wright, que simplesmente muito boss!
Relativamente a esta temporada, eu antes dela sair tinha visto uma entrevista do Kevin Spacey num daqueles talk shows americanos, a dizer que para quem segue a política americana (que ultimamente tem sido um verdadeiro circo) vai pensar que a série copiou algumas coisas ao que tem acontecido mas que, na verdade, a série já tinha sido gravada antes do circo começar, LoL. Portanto, até conseguiram prever algumas coisas que iriam acontecer, o que é assustador. 
Já agora... o final desta temporada: poderoso!

E vocês? Conhecem esta série ou já viram esta temporada?

26 de junho de 2017

Flippism



Recentemente me deparei com o Flippism, que é basicamente a tomada de uma decisão baseado em atirar uma moeda ao ar. Ao início pensei bastante razoável, uma pessoa está indecisa: “Ora bem, não sei o que comer, se pizza ou hambúrguer… vou atirar a moeda ao ar.” Mas não, não é assim tão simples! 
Dizem os entendidos que é uma Teoria de Decisão Normativa, que leva, obviamente, a decisões de coisas tanto importantes como triviais mas completamente aleatórias. Ou seja, temos que obedecer à moeda e à sua decisão, tendo que lidar com a escolha que sair. Pelos vistos tendo sido bastante popular, pois é uma bela maneira de perder um pouco o controlo de poder de decisão sendo assim mais espontâneo, resolver disputas muito mais facilmente e até tomar decisões em coisas que devido à nossa racionalização iriam-se prolongar. 
Não é de todo científico, até é bastante básico mas pelos vistos tem tido ultimamente bastantes seguidores. E vocês, que acham? 

Acham que conseguiam passar um dia ou uma semana em que as vossas decisões são feitas por uma moeda?

22 de junho de 2017

Rodízio Preto


Recentemente, fui ao restaurante Rodízio Preto perto de Victoria com amigas minhas e tenho a dizer, é uma desgraça. O menu tem duas opções, uma que é a opção rodízio que é basicamente "all-you-can-eat buffet" com aquela comida maravilhosa e um verdadeiro carrossel de carne! 
Provavelmente para quem está fora isto parece "normal" ou nada de especial mas para quem está fora e já não vai a Portugal há algum tempo, até um rodízio brasileiro é um cheirinho de casa.

20 de junho de 2017

And you're the key...


This broken wheel is coming undone
And the roads exploding
But you're keeping me strong
Rolling along with you...

Love is a tower
And you're the key
Leading me higher
When you let me in

Keeping us close...
On down the line

Sometimes I burn like a dot on the sun
With no one knowing
But you're keeping me strong
Rolling along with you

You are a tower of
Strength to me
The darkening hour
Sees light again

You are

Love is a tower
Of strength to me
I am the shoreline
But you're the sea

You are

Nota: ai é tão bom assim um bocadinho de Pearl Jam para melhorar o nosso dia.

14 de junho de 2017

My first audiobook: Born a Crime



Nunca fui muito de audiobooks e para quem não sabe um audiobook é basicamente uma gravação do livro a ser lido, pelo autor ou não. Por exemplo, como vocês sabem eu sou obcecada em Harry Potter, então arranjei os audiobooks da colecção que ainda por cima são lidos pelo fantástico Stephen Fry. Contudo, tenho-os guardados mas nunca os ouvi por completo.

Neste caso, decidi ouvir o audiobook do comediante Trevor Noah, que para quem o conhece, sabe que principalmente ele partilha as suas histórias de como foi crescer no Apartheid da África do Sul, entre outras peripécias que agora ele comunica com humor mas que na altura foi extremamente complicado. O título explica o quão ridículo o Apartheid foi, nascido um crime pois a mãe é preta e o pai é branco, na altura era proibido por lei haver qualquer tipo de interacção.
Então o livro é isso mesmo, a explicação de como é que os pais dele se conheceram, o tiveram, como tiveram que viver em família (em casas separadas), a força da natureza que é a mãe dele, que muito sinceramente ela precisava de o ser pois o Trevor era bastante traquina e fazia bastantes asneiras, LoL. 
Ele conta como foi crescer numa sociedade onde ele não se enquadrava em lado nenhum, as aventuras de como é viver num país onde existem 11 línguas oficiais e demonstra o seu fantástico conhecimento de pelo menos 5 dessas línguas! Foi por isso mesmo que decidi em vez de ler de ouvir o livro pois ele diz as falas nas outras línguas depois traduzindo para inglês, o que acho fantástico pois as 5 línguas soam todas completamente diferentes, o que nos faz questionar, como raios é que o pessoal se entende? 
A minha língua favorita é definitivamente a Xhosa, que é a língua dos cliques, que por acaso é a língua que ele cresceu a ouvir pois a família materna do Trevor Noah é Xhosa. Contudo, o Apartheid não foi assim há tanto tempo, foi abolido apenas em 1991 porém ele não menciona apenas o racismo e preconceito no seu livro, fala também em violência doméstica, abuso de poder policial, favelas, entre muitas coisas!

Aconselho vivamente este livro e principalmente o audiobook, estão simplesmente fantásticos, com tanto sentido de humor mas também com muitas passagens que nos faz pensar....